Coral Paulo VI – 53 Anos

Queridos Coralistas,

Neste dia muito especial para nossa família de cantores, cabe uma pequena reflexão, pois não estamos celebrando o nosso aniversário com a força do nosso canto, o que não significa que não estamos fazendo música.

Música é feita de sons e de pausas. E pausa significa exatamente “silêncio”! Silêncio de 1 tempo, de 2 tempos, de um compasso inteiro. As pausas são fundamentais para a interpretação de uma partitura: na pausa a gente respira; na pausa a gente se equilibra; na pausa a gente medita; na pausa a gente se emociona; na pausa a gente ouve o ecoar da própria voz; na pausa a gente escuta o outro; na pausa a gente valoriza o som, já que não o ouvimos; na pausa o público suspira… e até chora pela ausência da melodia!

E pela primeira vez, em 53 anos, “os que cantam para a glória de Deus e alegria dos homens” foram obrigados a fazer uma (dolorosa…) PAUSA!

Regidos pela maestria misteriosa do Universo, os compassos de silêncio se impuseram sobre nós! E nós, pelo amor que temos um pelo outro e pelo respeito que temos pelo nosso público e pela nossa cidade, tivemos que viver a ansiedade de guardar o nosso canto. Já são 87 dias que não nos ouvimos nem nos sentimos… e ainda não sabemos até quando, pois este nosso silêncio está compondo na surdina, discreta e lentamente, a Sinfonia da Vida que deverá ecoar matinal e vibrante quando os sinos tocarem em nossa cidade e pudermos receber a coroa da vitória por termos lutado a favor da vida de tantas pessoas. E este dia será lindo… e os céus de Teófilo Otoni não poderão conter a força e a energia acumulada de nosso canto feliz que cintilará como uma estrela!

Enquanto isto vamos valorizando a pausa. Ela nos revela a saudade que sentimos uns dos outros, do aconchego dos nossos ensaios, da apreensão que antecede nossas apresentações, do nervosismo dos exercícios e do aprendizado diários, do burburinho de nossa sala e de tantas coisas que fazemos juntos. Neste tempo a gente vai tendo a oportunidade de conhecer melhor a gente mesmo, de pensar solidariamente no que cada um está vivendo no seu “isolamento”, no valor de nossa arte que faz tanta falta a nós e a quem nos ouve. E tudo isso com uma certeza: voltaremos melhores do que somos, mais fortes, mais vibrantes e, enquanto Coral, mais excelentes!

Por isso, celebremos, sim, nosso aniversário: um aniversário em tempo de pausa. E que isso engrandeça cada vez mais a partitura que compomos juntos e que, muito em breve, será mostrada “para a glória de Deus e a alegria de todos os homens”!

Parabéns, meus cantores! Com todo o meu amor e respeito!

Maestro Pe. Luciano Lavall

Regente Titular do Coral Paulo VI

Solenidade de Corpus Christi 2020

Comentários